HOME   >   EMOÇÕES   >   MEDO

Amor
Medo
Nojo
Raiva
Tristeza
Vergonha e Culpa
Alegria


Medo

A função do medo é nos manter a salvo, envolvendo a percepção de que estamos em risco e avaliações de que a situação é perigosa e precisamos nos afastar dela rapidamente ou arrumar alguma maneira de nos protegermos, reduzindo assim o perigo. Ignorar o medo pode ter consequências perigosas daí esta emoção ter forte valência afetiva e respostas corporais intensas como tremor, aumento da pressão arterial, dos batimentos cardíacos e hipervigilância. Buscar proteção e apoio em terceiros fazem parte das tendências comportamentais eliciadas pelo medo.

Medo e ansiedade estão geralmente sobrepostos, sendo bem aceita a idéia de que o medo está relacionado a um estímulo ou situação concreta e presente enquanto a ansiedade está mais ligada aos processos cognitivos, com uma preocupação constante e antecipada de desfechos catastróficos futuros. A evitação, seja através de fuga ou esquiva acabam se tornando uma das principais formas de manutenção destas emoções já que permanece viva a idéia de que determinada ocorrência é perigosa pois o sujeito perde a oportunidade de entrar em contato com os estímulos eliciadores das mesmas.

Em função da sua importância para o nosso bem-estar, o medo envolve o processamento automático, ou seja, avaliações rápidas, grosseiras, inconscientes e incontroláveis pois, em termos de sobrevivência, este tipo de reação se traduziu em benefício para a espécie. Somente depois de reagirmos emocionalmente é que conseguimos avaliar melhor, e aí entram em cena as avaliações mais detalhadas e precisas sobre a situação.

Esta reação rápida que foi algo extremamente positivo para a sobrevivência da espécie humana também é uma das nossas maiores mazelas. Uma vez que nosso cérebro associa algo ao perigo, ele passa a disparar diante de qualquer sinal semelhante. Se eu sinto uma pontada no peito e tenho um ataque de pânico, provavelmente irei sentir medo de ter um novo ataque de pânico a qualquer sinal de desconforto parecido. Assim, o medo e a ansiedade podem passar a ser desadaptativos quando não oferecem a informação mais correta do que está acontecendo no momento.

Medo e ansiedade estão na raiz de diversas quadros psiquiátricos como transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno de ansiedade generalizada, fobias e transtorno de pânico.
Rua Engenheiro Enaldo Cravo Peixoto, 215 – Sala 310 – Tijuca – Rio de Janeiro
(21) 2204 2699 – contato@tfebrasil.com.br